Estaca Franki: Processo executivo e dicas importantes

Eduardo Daldegan
Eduardo Daldegan Publicado em 20 de janeiro de 2017

A estaca franki é um tipo de fundação moldada no local. Seu grande diferencial é a execução de um bulbo em sua ponta, que garante um grande aumento em sua capacidade de carga.

Este tipo de fundação pode ser executado com diversos diâmetros, normalmente os diâmetros das estacas podem ser de 30 a 70 centímetros. As estacas franki podem alcançar uma profundidade de até 30 metros.

As estacas franki podem ser construídas em qualquer tipo de terreno, inclusive com a presença de lençol freático. Em solos moles é importante ter um cuidado especial, neste caso é possível adotar técnicas para estabilização das paredes da escavação ou utilizar um tubo metálico perdido para auxílio na concretagem.

A principal característica da execução deste tipo de estaca é a vibração provocada durante a execução. Por isso, o seu uso é inadequado em grandes centros urbanos ou próximo a outras construções que possam ser danificadas devido a vibração do solo.

Existem artifícios para reduzir o efeito da vibração, entretanto, não eliminam por completo a vibração. Um dos artifícios é iniciar a execução do furo da estaca com escavação, e partir para a cravação à partir de uma determinada profundidade.

Processo executivo da estaca franki

processo executivo da estaca frankiO processo executivo da estaca franki é simples, entretanto exige certa experiência para que seja executado de maneira adequada.

Diferentemente da maioria das estacas moldadas no local, a execução do furo não é realizada por escavação, e sim por cravação. A cravação acontece com auxílio de um tubo com a ponta fechada por uma bucha de material granular (areia e brita). Um pilão é lançado em queda livre sobre esta bucha.

Veja em a seguir, em detalhes, o processo executivo da estaca franki.

1 – Locação das estacas:

O primeiro passo para a execução de uma fundação em estaca franki é a perfeita locação das estacas.

Para isso, é importante a utilização de equipamentos de topografia de alta precisão. O equipamento deverá ser posicionado no eixo indicado pela locação.

Caso uma estaca seja executada fora do seu local correto é necessário informar ao projetista para a adequação dos projetos de fundação ou eliminação da estaca escavada incorretamente.

Este tipo de estaca permite a cravação inclinada, com uma inclinação de até 25º. Durante o posicionamento do equipamento, deverá ser aferida a inclinação correta indicada em projeto.

2 – Cravação do tubo:

Como falado anteriormente, a cravação do tubo é realizada por meio da queda livre de um pilão sobre uma bucha de material granular na ponta do tubo.

Este pilão pode ter um peso de 1 a 4,5 toneladas e uma altura de queda livre que pode chegar até 7 metros e altura.

A bucha de material granular é uma mistura de areia e brita, que tem como objetivo manter a ponto do tubo sempre fechada e receber os golpes da cravação. Esta bucha também impede que na presença de lençol freático a água entre no tubo.

Um equipamento convencional tem uma produtividade média de até 50 metros de cravação por dia.

3 – Execução do bulbo:

A execução do bulbo também é conhecida como o alargamento da base da estaca. Este bulbo é, com certeza, um dos diferenciais desta estaca.

A sua execução aumenta a capacidade de carga da estaca, pois além de aumentar a seção da estaca, gera uma melhora nas características mecânicas do solo, devido à compactação.

Para a execução do bulbo o primeiro passo é garantir que o tubo esteja preso com auxílio de cabos de aço, assim ele não descerá mais nos próximos golpes do pilão. A bucha será removida com golpes em sequência.

Assim que a bucha de material granular for removida é inserido no tubo uma certa quantidade de concreto, que também será apiloado para o alargamento da ponta da estaca.

A quantidade do concreto do bulbo é definida pelo projetista da fundação.

4 – Colocação a armadura:

O próximo passo é colocar a armadura dentro do furo escavado. Vale lembrar que o tubo ainda está cravado no solo e ele será retirado apenas no momento da concretagem.

A armadura da estaca franki é geralmente formado por barras longitudinais soldadas e estribo espiral soldado.

5 – Concretagem:

Com a armadura posicionada o próximo passo é a concretagem. A concretagem é realizada com o lançamento de pequenas quantidades de concreto e o apiloamento destas camadas com o mesmo pilão da escavação.

À medida que a estaca é concretada o tubo é retirado por meio da suspensão dos cabos de aço. É importante manter uma quantidade de concreto adequada para que durante a retirada do tubo não corra o risco da entrada de solo ou água em alguma parte da estaca.

Projeto e normas técnicas

Para a execução com sucesso de uma fundação em estaca franki é necessário que seja elaborado um bom projeto de fundação. Este projeto deverá estar de acordo com a norma técnica NBR 6122 – Projeto e Execução de Fundações.

Além disso, é fundamental a execução de uma boa investigação do subsolo. Assim o engenheiro terá condições de definir características importantes da estaca, como a capacidade de carga, comprimento, tamanho do bulbo e quantidade de estacas.

Para um projeto seguro e econômico é importante contar com a assessoria de profissionais capacitados e habilitados para a execução de fundações. O acompanhamento de um engenheiro geotécnico é fundamental na execução deste tipo de fundação.

Cuidados importantes durante a execução

Durante a execução de uma estaca franki é importante estar atento a diversos pontos. Os principais cuidados são:

  • Locação correta das estacas;
  • Profundidade correta da cravação;
  • Velocidade de execução das estacas;
  • Peso do pilão para cravação;
  • Altura de queda do pilão para cravação;
  • Volume de concreto para execução do bulbo;
  • Cota de arrasamento da cabeça da estaca.

Finalizando

Por fim, vale destacar que este tipo de estaca é uma ótima opção para fundações que necessitem de boa capacidade de carga. Entretanto, o seu processo executivo inviabiliza a sua utilização em diversos locais, devido a vibração.

Entretanto, em locais fora de centros urbanos e seguro para a cravação este tipo de estaca se torna uma boa opção.

Caso você ainda tenha ficado com alguma dúvida ou quer colaborar com alguma experiência com a execução de estaca franki, então deixe um comentário.

Você também pode compartilhar este conteúdo com seus amigos, é só utilizar uma das redes sociais abaixo.

Forte abraço.

Quer citar este artigo em seu trabalho? Utilize o modelo abaixo:

Daldegan, Eduardo. Estaca Franki: Processo executivo e dicas importantes. Engenharia Concreta, 2017. Disponível em: https://www.engenhariaconcreta.com/estaca-franki-processo-executivo-e-dicas-importantes/. Acesso em: 23 de julho de 2018.

Copiado!