Estaca Strauss: Processo executivo e dicas importantes

Eduardo Daldegan
Eduardo Daldegan Publicado em 3 de agosto de 2016

A estaca strauss é um tipo de fundação que pode ser utilizada em diversos tipos de solo, inclusive na presença de lençol freático. São estacas escavadas e concretadas in loco. Muito utilizada desde o início do século XX nos Estados Unidos e na Europa, mas só ganhou espaço no Brasil após a Segunda Guerra Mundial.

O diâmetro da execução pode varia de 25 a 70 centímetros. A escavação é realizada por meio de uma sonda, com a introdução de revestimento metálico em seguimentos rosqueados até atingir a profundidade necessária. A concretagem é realizada com o lançamento e apiloamento do concreto, à medida que a concretagem é executada o revestimento metálico é removido.

Não possui grande capacidade de carga, mas tem grande custo benefício pela facilidade de mobilização e simplicidade dos equipamentos. Além disso, pode ser utilizada em terrenos acidentados, locais de difícil acesso e no interior de edificações. Ainda podemos citar como principais vantagens:

  • Baixa vibração e impacto;
  • Execução em terrenos acidentados;
  • Proteção do fuste com revestimento metálico;
  • Redução da perda de material devido o revestimento metálico;
  • Facilidade de movimentação e manobra dentro do canteiro de obra.

Os elementos que compõe todo o equipamento para a execução da estaca strauss são:

  • Tripé;
  • Guincho;
  • Sonda;
  • Revestimento Metálico;
  • Soquete;
  • Funil;
  • Motor a óleo diesel ou elétrico;
  • Chaves e ferramentas diversas.

Processo Executivo

estaca strauss processo executivo1 – Locação do equipamento:

O primeiro passo é a locação do equipamento na projeção do elemento a ser escavado. Um cuidado importante é quanto á verticalidade da escavação. Vale lembrar que as estacas são sempre locadas com referência na locação dos pilares da edificação.

2 – Escavação:

A escavação é iniciada com auxílio de um soquete até que atinja a profundidade de 1,0 a 2,0 metros. Em seguida é colocado o primeiro segmento de revestimento metálico.

A partir deste ponto, a escavação é realizada pela sonda. O solo é escavado por meio do lançamento de água no furo e pelo movimento de percussão da sonda que aos poucos desagregam o solo e o transformam em lama. Esta lama penetra na sonda e é retirada sempre que está cheia para limpeza.

A escavação é realizada até a profundidade indicada em projeto, ou determinada por profissional capacitado e habilitado no local.

Um dos aspectos negativos neste tipo de escavação é a grande quantidade de lama produzida na obra, o que torna o canteiro de obra sujo até a finalização da fundação. Além disso, o equipamento não consegue escavar em locais com presença de matacão e rocha, neste caso dê uma olhada na estaca raiz.

3 – Limpeza do fundo do furo:

Ao fim da escavação realiza a limpeza do furo para o prosseguimento da concretagem.

4 – Colocação da armadura:

Não é comum a utilização de armadura em neste tipo de fundação, mas em alguns casos é importante adotar. A armadura deve ser colocada antes da concretagem, com auxílio do guincho.

Espaçadores plásticos devem ser utilizados com intuito de garantir o cobrimento mínimo indicado em projeto.

Mesmo em estacas onde não seja indicado a utilização de armação, os arranques dos pilares devem ser instalados no fim da concretagem,

5 – Execução da concretagem:

A concretagem é executada com auxílio de tubulação específica, geralmente é utilizado o concreto usinado. Um diferencial da estaca strauss é que o concreto lançado na base, até a profundidade de 1,0 metro aproximadamente, é apiloado com o soquete.

Este procedimento tem como objetivo formar um bulbo na ponta da estaca, que no canteiro de obra é comumente chamado de cebola.

O fuste é concretado e apiloado com o soquete. À medida que é realizada a concretagem o revestimento metálico segmentado é removido com auxílio de um guincho.

Estaca Strauss – Projeto e Normatização

A estaca Strauss é normatizada pela norma da ABNT NBR 6122. É importante ressaltar que toda fundação deve ser avaliada por profissional capacitado e habilitado.

Para o melhor aproveitamento dos materiais e das condições naturais do terreno é necessário a realização de investigações geotécnicas, que neste caso seria o SPT.

Com todas as informações o engenheiro será capaz de desenvolver um projeto econômico e seguro para sua edificação.

Considerações Finais

A facilidade de execução e a leveza dos equipamentos permitem a utilização da estaca Strauss em diversos locais. Em muitas situações seu custo benefício é muito interessante. Em cidades do interior, onde o acesso a equipamentos modernos não é fácil, este tipo de fundação é muito utilizado.

Apesar de suas vantagens, este tipo de estaca tem perdida um pouco de seu espaço para as estacas hélice segmentada monitorada.

Ainda ficou com alguma dúvida ou quer colaborar com o conteúdo, deixe um comentário. Compartilhe com seus amigos este conteúdo, você pode ajudar alguém que está precisando.

Forte abraço.

Quer citar este artigo em seu trabalho? Utilize o modelo abaixo:

Daldegan, Eduardo. Estaca Strauss: Processo executivo e dicas importantes. Engenharia Concreta, 2016. Disponível em: https://www.engenhariaconcreta.com/estaca-strauss-processo-executivo-e-dicas-importantes/. Acesso em: 23 de julho de 2018.

Copiado!