O que fazer com os resíduos da construção civil?

Eduardo Daldegan
Eduardo Daldegan Publicado em 9 de novembro de 2017

Uma das grandes questões da engenharia nos dias de hoje é o que fazer com os diversos resíduos da construção civil. Grande parte das construções convencionais geram uma grande quantidade de resíduo, que em muitos casos tem um destino inadequado.

Mesmo com o advento de novas tecnologias construtivas, o modelo convencional de construção é predominante no Brasil. A maioria das construções são erguidas com estruturas de concreto e paredes de alvenaria, o que gera inevitavelmente a geração de muito resíduo.

É importante salientar que a maneira como os resíduos são vistos tem mudado nos últimos anos. Antes eram vistos como apenas entulho e material de descarte, hoje em dia são oportunidade de negócios para muito empreendedor.

Veja a seguir algumas dicas do que pode ser feito com os resíduos de sua obra.

Com classificar os resíduos da construção civil

O primeiro passo para lidar melhor com os resíduos gerados em uma obra é aprender a classificação conforme as normas em vigor. Esta classificação é simples, mas muito útil para o dia a dia de uma obra.

Os resíduos são classificados em 4 categorias, conforme indicado a seguir.

1 – Resíduos Classe A:

dicas sobre os resíduos da construção civilOs resíduos classificados como Classe A, são todos aqueles que podem ser reaproveitados como agregado, ou seja, são os resíduos que podem ser reutilizáveis ou reciclados e novamente utilizados na construção civil.

Estes resíduos podem ser oriundos de obras de reforma, demolição ou construção de diversos tipos de obras civis, ou até mesmo resíduos de obras de terraplenagem.

Os principais resíduos são os restos de concreto, argamassa e componentes cerâmicos, como blocos, pisos e telhas. Também são aproveitados os resíduos de peças pré-moldadas que podem surgir durante a fabricação ou durante a demolição de alguma edificação.

Estes resíduos podem ser aproveitados na própria obra ou então destinados a locais em que serão reaproveitados como agregados em futuras obras, como por exemplo locais de reciclagem do concreto.

2 – Resíduos Classe B:

A Classificação B é destinada aos resíduos da construção civil que também podem ser reciclados ou reaproveitados, mas para outra destinação, que não seja a utilização como agregado.

Neste caso, os principais tipos de resíduos são os plásticos, vidros, madeira, metais, papel e papelão.

É importante que estes resíduos sejam destinados a locais de reciclagem ou reutilização.

3 – Resíduos Classe C:

Os resíduos Classe C são todos aqueles que não podem ser reaproveitados ou reciclados por falta de uma tecnologia adequada ou viável economicamente.

Estes resíduos deverão ser descartados conforme as normas técnicas em vigor e a legislação do local onde a obra está sendo executada.

4 – Resíduos Classe D:

Os resíduos da construção civil Classe D são aqueles que podem oferecer algum perigo de contaminação. São resíduos de tintas, solventes e óleos.

Ou então resíduos oriundos de locais que possam estar contaminados, como resíduos de clínicas radiológicas ou indústrias.

Estes resíduos devem ser acondicionados de maneira adequada e ter uma destinação coerente com as normas e legislações vigentes.

Principais passos de um programa de gerenciamento de resíduos

Um programa de gerenciamento de resíduos é fundamental em toda cadeia produtiva da construção civil. Com um bom programa é possível reutilizar a maior quantidade possível de resíduos e de maneira adequada.

Um bom programa começa com a classificação. É importante que todos os envolvidos conheçam as classificações dos resíduos e saibam a partir disso definir o que será feito com ele.

A partir da classificação é feita uma triagem. Neste momento é separado cada resíduo conforme a classificação indicada no início do artigo. Esta triagem pode ser feita na obra ou então no aterro para onde os resíduos são destinados.

O terceiro passo é o acondicionamento correto de cada tipo de resíduo. É necessário estabelecer critérios para este acondicionamento, de forma que os resíduos que possam ser reutilizados ou reciclados não sejam contaminados por outras classes de resíduos.

Após o acondicionamento é feita a destinação do resíduo. Onde o responsável pela obra indica o destino de cada um dos tipos de resíduos de acordo com a classificação anterior.

Principais vantagens de gerenciar os resíduos

Existem inúmeras vantagens de gerenciar corretamente os resíduos da construção civil.

A primeira delas e mais visível é a organização e limpeza da obra. Essa é uma característica das obras que possuem um bom programa de gerenciamento de resíduos.

Outra vantagem é o desempenho de um papel social importante na luta contra o desperdício de materiais e na diminuição da quantidade de resíduos lançados em aterros convencionais.

Com o aprimoramento do programa de gerenciamento também é possível uma redução dos custos com transporte e bota-fora, aproveitando até mesmo na própria obra os resíduos inicialmente produzidos.

Com o passar do tempo é possível reduzir o desperdício na obra e consequentemente a produção de resíduos. Com a conscientização e envolvimento de todos os profissionais é possível fazer uma obra mais eficiente e aproveitar da melhor forma possível todos os materiais.

Finalizando

Estou certo de que com as dicas deste artigo você será capaz de lidar melhor com os resíduos da construção civil. Hoje em dia, é impossível negligenciar este aspecto de uma obra, afinal temos legislações cada vez mais rigorosas e ainda é necessário cumprir um bom papel social e colaborar com a preservação do ambiente.

Compartilhe este artigo com seus amigos que também tem interesse em assuntos sobre construção civil.

Quer citar este artigo em seu trabalho? Utilize o modelo abaixo:

Daldegan, Eduardo. O que fazer com os resíduos da construção civil?. Engenharia Concreta, 2017. Disponível em: https://www.engenhariaconcreta.com/o-que-fazer-com-os-residuos-da-construcao-civil/. Acesso em: 14 de dezembro de 2018.

Copiado!